30 de maio de 2014

Plano de Organização da Divisão de Voluntários Reais do Príncipe (30MAI1815)

PLANO DE ORGANIZAÇÃO DA DIVISÃO 
[30 de Maio de 1815]

Composta da 1.ª e 2.ª Brigada de Voluntários Reais do Príncipe, cada composta de:

2 Batalhões de 8 Companhias cada
3 Esquadrões de Cavalaria
1 Companhia de Artilharia

EM Divisão, 7
EM Brigadas, 10
Estado Completo dos 4 BatInf, 3632
EC Cavalaria, 894 (800 cavalos)
EC Artilharia, 252
Musicos, 36
TOTAL, 4832 homens e 800 cavalos


Tenente General Carlos Frederico Lecor
Comandante em Chefe (il.: Sanson)
Estado Maior da Divisão
1 Tenente General, Comandante em Chefe
1 Ajudante general & Secretário Militar (Oficial general)
1 Quartel Mestre General (Brigadeiro)
2 Oficiais de Engenheiros
2 Auditores Encarregados (Intendências dos Víveres + Bagagens)
Total, 7

Estado Maior de uma Brigada
1 Brigadeiro
1 Major de Brigada
1 Ajudante de Campo (Tenente)
1 Cirurgião Mor de Brigada (grad. Major)
1 Capelão
Total, 5

Estado maior de um Batalhão de 8 Companhias
1 Tenente-Coronel comandante
2 Majores
1 Ajudante
1 Quartel Mestre
2 Cirurgiões Mores (grad. Capitães)
1 Ajudante Sargento
1 Quartel Mestre Sargento
1 Corneta Mor (grad. 1.º sargento)
1 Coronheiro
1 Espingardeiro
Total, 12

Soldado de Infantaria da DVRP
(ilustração de Ivan Washt Rodrigues)
Composição de uma Companhia do Batalhão
1 Capitão
1 Tenente
2 Alferes
1 1.º sargento
4 2.º Sargentos
1 Furriel
6 Cabos de Esquadra
6 Anspeçadas
2 Cornetas
88 Soldados
Total, 112

Total das 8 Companhias, 896
Total de um Batalhão com o seu Estado Maior, 908
Total dos dois Batalhões de Infantaria de uma Brigada, 1816

Corpo de Cavalaria composto de 6 Companhias, pertencendo a uma Brigada

Estado Maior
1 Tenente-Coronel (3 cavalos)
2 Majores (4 cavalos)
1 Ajudante (1 cavalo)
1 Quartel Mestre (idem)
1 Capelão (idem)
2 Cirurgiões Mores (grad. Capitães) (2 cavalos)
1 Picador (grad. Tenente) (1 cavalo)
1 Ajudante Sargento (idem)
1 Quartel Mestre Sargento (idem)
1 Trombeta Maior (idem)
1 Seleiro (idem)
1 Coronheiro
1 Espingardeiro
Total, 15 homens e 16 cavalos

Entrada em Montevidéu (1817) (il.: Gilberto Bellini)
Composição de uma Companhia de Cavalaria
1 Capitão
1 Tenente
1 Alferes
2 Sargentos
1 Furriel
4 Cabos de Esquadra
4 Anspeçadas
1 Trombeta
1 Ferrador
48 Soldados montados
8 Soldados a pé
Total, 72 homens e 64 cavalos

Total das seis Companhias, 432 homens e 384 cavlos
Total do Corpo de Cavalaria de uma Brigada, 447 homens e 400 cavalos

Corpo de Artilharia pertencente à Divisão, composto de duas Companhias com quatro bocas de fogo cada uma, a saber, três peças de calibre 6 e um Obuz de 6 polegadas

Estado Maior
1 Oficial Superior
1 Ajudante
1 Quartel Mestre
1 Ajudante sargento
1 Quartel mestre Sargento
1 Corneta Mor
2 Ferreiros
2 Serralheiros
2 Carpinteiros de Machado
2 Carpinteiros de Obra Branca
Total, 14

Composição de uma Companhia de Artilharia
1 Capitão
1 1.º Tenente
3 2.º Tenentes
1 1.º Sargento
2 2.º Sargentos
2 Artífices de Fogo
1 Furriel
6 Cabos de Esquadra
2 Cornetas
100 Soldados
Total, 119

Total das duas Companhias, 238
Total do Corpo de Artilharia, 252

Banda de Música para uma Brigada
2 Mestres
16 Músicos
Total, 18

Total de Musicos para a Divisão, 36

Relacionadas:
 "Entrada em Montevidéu - 20.1.1817"

3 comentários:

Moisés Gaudêncio disse...

Jorge, quando a divisão foi organizada em Portugal qual era a sua missão declarada? Não seria por certo a invasão da Banda Oriental, talvez qualquer coisa como a defesa do Brasil?

Jorge Quinta-Nova disse...

Inicialmente, a Divisão era para servir no Brasil, mas em meados de 1815 já se dizia no Rio de Janeiro que o corpo era para a campanha do Sul, como veio a ser o caso. As forças de Artigas fustigavam muito a fronteira.

Jorge Quinta-Nova disse...

Basicamente, o Reino Unido ,monarquia absoluta, tinha uma república na sua fronteira meridional, a Liga dos Povos Livres.